Cientistas detectam oxigênio em outra galáxia pela primeira vez

Falta do elemento químico essencial para a vida em outros locais do espaço gerava dúvidas quanto a formação do universo.

A galáxia Markarian 231 foi descoberta pela Nasa em 1969 (Foto: Divulgação/Nasa)

Pela primeira vez cientistas conseguiram encontrar sinais de que existe oxigênio fora da Via Láctea, galáxia onde se encontra o Sistema Solar. Segundo o estudo publicado no The Astrophysical Journal, a molécula detectada através de ondas de rádio moleculares está a meio bilhão de anos-luz de distância da Terra. A informação é do portal R7.

A molécula essencial para a vida como conhecemos está presente por toda a atmosfera da Terra e, junto com hidrogênio e hélio, compõe os três elementos mais abundantes no Sistema Solar. A falta de oxigênio em outros locais do espaço deixava os cientistas em dúvida quanto a formação do universo.

Como a descoberta foi feita

Cientistas acreditavam que o oxigênio teria se juntado com o hidrogênio e, por isso, não podia ser detectado em outros locias no espaço. Um exemplo disso foi visto na Nébula de Orion, em que os dois elementos se juntaram e formaram uma estrutura similar ao gelo.

No novo estudo, Junzhi Wang, astrônomo do Observatório Astronômico de Xangai,na China, apontou a descoberta de moléculas de oxigênio na galáxia Markarian 231. A detecção foi feita através de radiotelescópios com o nome de IRAM e NOEMA, na Espanha e França respectivamente. A tecnologia é capaz de medir ondas emitidas por moléculas e detectar sua estrutura.

“Usando os dois telescópios de 30 metros e observando profundamente a constelação Markarian 231, nós detectamos a emissão de oxigênio em uma galáxia externa pela primeira vez”, diz o estudo.

Os cientistas acreditam que o oxigênio foi liberado devido à forte pressão exercida por outros seres astronômicos na atmosfera, como dois possíveis buracos negros que circulam “furiosamente” entre si. O fenômeno pode ter levado a separação do hidrogênio e oxigênio, o que ainda não aconteceu em Nébula.

Nébula é considerada uma galáxia recém formada (Foto: Divulgação/Nasa)
Nébula é considerada uma galáxia recém formada (Foto: Divulgação/Nasa)

O que a descoberta significa

Para os pesquisadores, os resultados podem ajudar a compreender a forma com que as moléculas, principalmente o oxigênio, se comportam na galáxia e o que leva a sua formação. A pesquisa deve ser reestudada para confirmar a veracidade da informação, que ainda é preliminar.

“A primeira descoberta extragaláctica do oxigênio em sua forma molecular fornece ferramentas ideais para estudar fluxos moleculares de quasares e outros NGA”, afirmou a equipe no estudo.