Homem é preso por matar cão carbonizado após atear fogo em barraco no interior de SP

Suspeito foi flagrado por testemunhas ateando fogo no local com o cão ainda amarrado por uma corda; outro cachorro foi resgatado com queimaduras.

Fogo destruiu completamente barraco improvisado em terreno no Bairro Pampulha, em Agudos; — Foto: Arquivo pessoal

Um homem foi preso em flagrante nesta terça-feira (24), em Agudos (SP), por causar incêndio e por crueldade contra animais, já que um cachorro morreu carbonizado com as chamas. A informação é do portal G1.

De acordo com a polícia, testemunhas disseram que o homem já costumava colocar fogo no lixo e materiais recicláveis num terreno invadido por ele no Bairro Pampulha. Nesta terça ele repetiu mais uma vez a atitude criminosa durante à tarde.

A polícia foi chamada e, quando chegou ao local, havia um barraco improvisado sendo consumido pelo fogo. Policiais localizaram o corpo de cachorro queimado e outro cão com queimaduras.

O animal sobrevivente foi resgatado pela Vigilância Sanitária do município. O terreno fica perto de residências e havia vegetação que ajudou na propagação do fogo com facilidade.

O Corpo de Bombeiros conseguiu controlar as chamas e evitar que o incêndio aumentasse.

Durante o depoimento à polícia, uma testemunha disse que assim que o fogo começou viu o homem ao lado do cachorro amarrado a uma corda ainda em chamas. A testemunha disse que ainda tentou buscar um balde de água para ajudar o animal, mas quando voltou o homem tinha fugido.

Outras testemunhas disseram ainda que o homem teria ateado fogo direto nos animais e que as chamas se alastraram para o terreno e o barraco.

Após a chegada dos policiais, o homem voltou ao local e disse que não sabia o que tinha acontecido e tentou se mostrar surpreso com o local destruído pelo fogo. Ainda segundo testemunhas, ele voltou ao terreno porque foi obrigado pela população revoltada com o caso.

Ele foi levado para a delegacia e, segundo o boletim de ocorrência, o homem admitiu que ateou fogo no local, que foi vistoriado pela Perícia Técnica.

O delegado Marcelo Gimenes, responsável pelo caso, disse que um dos agravantes foi que ele teve tempo suficiente para salvar os cachorros, mas deixou a área sem prestar socorro ou pedir ajuda. O homem será levado para a cadeia de Avaí onde permanecerá à disposição da Justiça.

Cão sobrevivente do incêndio ficou com queimaduras nas costas e foi resgatado pela Vigilância Sanitária Agudos — Foto: Arquivo pessoal
Cão sobrevivente do incêndio ficou com queimaduras nas costas e foi resgatado pela Vigilância Sanitária Agudos — Foto: Arquivo pessoal