Em áudio, ex-vereador preso fala sobre auxílio emergencial que receberia: ‘99% não precisam’

Ex-vereador de Itanhaém, no litoral paulista, fala para esposa que foi aprovado para receber auxílio de R$ 600, e ela diz ao político que ele não precisa do dinheiro.

Preso na ‘Operação Coche’, da Polícia Civil, o ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Itanhaém, no litoral paulista, Valdir Gonçalves Mendes, o ‘Valdir do Açougue’, teve o telefone interceptado, e foi identificada uma ligação em que o político fala com desdém sobre o recebimento do auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal. Nas gravações, ele diz à esposa que foi aprovado no benefício. Ela responde dizendo que ele não precisa do dinheiro. (Ouça acima)

Os áudios, divulgados pela TV Tribuna, afiliada da Rede Globo na Baixada Santista e no Vale do Ribeira, foram obtidos pelos investigadores da operação. Em entrevista ao G1, o delegado titular da Dise de Itanhaém, Bruno Mateo Lazaro, explicou como se deu a prisão do político.

“Os áudios foram obtidos pelas interceptações, que inclusive foram importantes para a decretação da prisão temporária. Importante destacar que a prisão dele não se faz por causa do áudio em si, mas por conta da colaboração dele com o crime organizado, em que recebeu um crédito por participar de ações criminosas”, explica a autoridade policial.

De acordo com o delegado, os áudios mostram fraude por parte de Valdir, para ter acesso ao auxílio emergencial. “É um homem que tem uma sustância financeira, fazendo uso de um valor que é destinado para quem realmente precisa. Só divulgamos esses áudios para mostrar exatamente quem é esse político. Não sabemos se ele já recebia ou ainda iria receber a quantia. Mas, na verdade, ele não está sendo preso especificamente por causa disso. Descobrir isso foi uma consequência das interceptações”, reforça o delegado.

Ex-vereador foi preso em Itanhaém, SP — Foto: Reprodução/TV Tribuna
Ex-vereador foi preso em Itanhaém, SP — Foto: Reprodução/TV Tribuna

Na conversa entre ‘Valdir do Açougue’ e a companheira, ele diz: “Oi amor, você viu lá? Ganhei 600, foi aprovado o meu crédito”. A esposa responde falando: “Tem vergonha né. Você não precisa”. E ele rebate, dizendo: “Você acha que 99% do que tá recebendo precisa?”.

As investigações que resultaram na prisão do ex-vereador foram feitas por equipes da Dise de Itanhaém durante quatro meses. Elas foram iniciadas após denúncias de tráfico de drogas e transporte clandestino na cidade. Segundo a polícia, além de comercializar drogas, os investigados extorquiam quem quisesse trabalhar com o transporte irregular.

Entre os suspeitos, estão políticos e empresários que eram colaboradores da facção. Os investigados também trabalhavam para eleger candidatos, à Câmara e prefeitura, que colaborassem com a facção.

De acordo com o delegado, as pessoas que foram presas na operação serão ouvidas na próxima semana, na presença dos respectivos advogados. O G1 não localizou a defesa de Valdir até a última atualização desta reportagem.

Operação

Policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Itanhaém, em atuação conjunta com policiais da DIG de Itanhaém e do Grupo de Operações Especiais de Santos (GOE-DEIC Deinter 6 Santos), deram início, na manhã desta segunda-feira, à ‘Operação Coche’, que resultou na prisão de oito suspeitos e na apreensão de diversos tipos de drogas e objetos de origem ilícita.

A operação, deflagrada com a finalidade de desarticular a atuação de integrantes do crime organizado na região, contou com a participação de 28 policiais e nove viaturas, que percorreram os bairros Tropical, Sabauna, Savoy, Umuarama, Belas Artes, Jardim Ibera, Suarão e Centro de Itanhaém.

Após investigação de campo e com base em informações obtidas por meio dos setores de inteligência e pesquisa de banco de dados policiais, a equipe identificou uma organização criminosa que atua no tráfico de drogas e também no transporte clandestino na região, e localizou os depósitos de entorpecentes, além dos lugares em que poderiam ser encontrados.

Na posse dessas informações, foi requerida ao Poder Judiciário a expedição de mandados de prisão temporária e de busca a apreensão, o que foi deferido pela Justiça. Em posse dos mandados, os policiais localizaram e prenderam oito pessoas, duas mulheres (24 e 40 anos) e seis homens (29, 21, 32, 37, 51 e 57 anos de idade).

De acordo com a Polícia Civil, no total, foram apreendidas 151 porções de cocaína (845 gramas), 5 porções de maconha (68 gramas) e 28 pedras de crack (11 gramas). Foi apreendida, também, uma pistola calibre 45 e diversas munições de diferentes calibres, além de valores em dinheiro, um notebook, 16 aparelhos de telefone celular, documentos e ainda um veículo, todos objetos utilizados para prática delituosa.

'Operação Coche' foi coordenada pela Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Itanhaém — Foto: G1 Santos
‘Operação Coche’ foi coordenada pela Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Itanhaém — Foto: G1 Santos

*G1