Mãe de crianças envenenadas e esfaqueadas pelo pai diz que ex não aceitava divórcio

Homem colocou veneno na refeição dos filhos e depois deu golpes de faca. Crianças foram resgatadas pela mãe, que recebeu ligação do filho mais velho pedindo ajuda.

Lukas, de cinco anos, e Eduardo, oito anos, estão internados — Foto: Arquivo Pessoal

Lukas, de cinco anos, e Eduardo, oito anos, estão internados — Foto: Arquivo Pessoal

A mãe das duas crianças que o pai tentou matar em Taubaté neste sábado (20) contou que estava em processo de divórcio desde o início do ano e tinha uma medida restritiva contra o homem. Os filhos, cinco e oito anos, foram envenenados e esfaqueados pelo pai, que depois se matou. As duas crianças seguem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional. As informações são do portal G1.

Suellen Regina Camargo, 33 anos, foi casada com Nilson de Paula por nove anos, mas saiu de casa no início do ano quando pediu o divórcio. Segundo a mãe, ela era vítima de violência doméstica e, pelas agressões, conseguiu em 2019 uma medida restritiva contra o ex-marido. O G1 apurou com a polícia que há registro de pelo menos 30 boletins de ocorrência de agressão envolvendo o homem.

Quando o crime aconteceu, as Eduardo de Paula, oito anos, e Lucas de Paula, cinco anos, estavam com o pai para uma visita. De acordo com a Polícia Civil, o homem teria misturado veneno na refeição das crianças e depois agredido e golpeado com faca. As crianças foram socorridas pela mãe, que as encontrou desacordadas no imóvel.

Segundo Suellen, ela recebeu uma ligação do filho por volta das 10h no sábado (20) pedindo ajuda. No telefone, ele contou que Nilson estava alterado e violento na casa.

“Quando eu cheguei, tive que estourar o portão e a porta. A primeira cena que eu vi foram meus filhos em um colchão coberto de sangue e desacordados”, contou.

Quando o resgate chegou ao local, o pai das crianças já estava morto. Lukas e Eduardo tiveram inúmeros ferimentos por faca, segundo a mãe, o mais velho a maior parte no abdômen. Suellen conta que o Nilson não aceitava o fim do relacionamento e vinha tentando contato e retornos. A polícia informou que ele chegou a descumprir a medida restritiva, mas fugiu do local antes do flagrante.

“Ele não aceitava que eu o havia deixado, que não queria mais. Ele era ruim para mim como marido, mas nunca tinha feito nada aos nossos filhos. Eu não podia imaginar que ele seria capaz disso. Ele quase levou tudo o que eu tenho de mim”, diz.

As duas crianças passaram por procedimentos por causa dos ferimentos, mas que estão estáveis. A suspeita é de que o homem tenha dado a elas uma dose forte de calmantes. Apesar disso, também encontraram chumbinho no imóvel.

Suellen contou que o homem trabalhava como taxista e com uma distribuidora de bebidas, mas que tinha histórico com drogas. Nilson deixou no imóvel uma carta em um envelope com R$ 1,3 mil em dinheiro. O conteúdo da carta não foi divulgado pela polícia.