Policial é morto a pauladas após ser sequestrado em baile funk

Após pedido, ele levou uma amiga da família ao baile e foi reconhecido por criminosos. Corpo de policial foi encontrado em uma área de mangue. Ainda não há informações sobre o autor do crime.

Policial militar foi brutalmente assassinado após ser sequestrado em Bertioga (Foto: Reprodução/Facebook)

Policial militar foi brutalmente assassinado após ser sequestrado em Bertioga (Foto: Reprodução/Facebook)

Um policial militar de 38 anos foi morto a pauladas e tiros, na madrugada deste domingo (8), durante um baile funk em Bertioga, no litoral de São Paulo. O soldado Gledson Silva de Gusmão teria levado uma amiga para conhecer o local e foi reconhecido por criminosos. A informação é do portal G1.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima teria ido ao baile funk no bairro Chácaras acompanhado de uma amiga da família, que pediu para conhecer o evento. Quando chegou ao local, foi reconhecido por dois criminosos, que o sequestraram e o levaram para uma área de mangue, no mesmo bairro.

Sabendo do sequestro do marido, a esposa acionou a PM, que passou a procurar por Gledson nas proximidades. Equipes da Força Tática auxiliaram nas buscas, conversando com comerciantes da região para saber o paradeiro do policial. As autoridades encontraram o corpo de Gledson em um local que, segundo a Polícia Militar, é conhecido pela recorrente ‘desova de corpos do tribunal do crime’.

O corpo do soldado tinha marcas de tiros e facadas na cabeça, além de marcas de pauladas no rosto, no pescoço e nas costas. Ainda conforme a PM, ele apresentava sinais que indicam que suas mãos foram amarradas. O Corpo de Bombeiros foi acionado para retirar o corpo da vítima, pois estava em uma área de difícil acesso.

A arma do policial foi levada pelos bandidos e ele estava sem documentos. O soldado era morador de Bertioga, no entanto, trabalhava na 4º Cia do 22º Batalhão de Polícia Militar, no bairro Jabaquara, em São Paulo (SP).

O corpo de Gledson foi levado para Instituto Médico Legal (IML) de Santos, onde passará por exame necroscópico. O caso foi registrado como homicídio na Delegacia Sede de Bertioga e segue sob investigação da Polícia Civil.