Suspeito de tentar assaltar motorista de Uber tem parada cardíaca e morre após abordagem da polícia

Segundo o boletim de ocorrência, vítima teria resistido à prisão e chegou à unidade de saúde já com parada cardiorrespiratória. Família da vítima nega que ela seja assaltante.

PM de São Paulo prende 12 policiais sob suspeita de tráfico de drogas (iStock/Getty Images)

PM de São Paulo prende 12 policiais sob suspeita de tráfico de drogas (iStock/Getty Images)

Um homem de 36 anos morreu na madrugada desta quinta-feira (17) depois de ser preso pela Polícia Militar em um bairro da zona oeste de Bauru (SP) por se envolver em uma confusão com um motorista de aplicativos, que o acusou de tentativa de assalto. A família da vítima nega que ele seja um assaltante.

Após ser contido pela PM, o homem teria sofrido uma parada cardiorrespiratória e foi socorrido por uma Unidade Resgate do Corpo de Bombeiros. A vítima foi levada para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), onde foi constatada a sua morte.

Segundo o relato dos policiais no BO, a corporação foi acionada por volta da 0h30 para atendimento de uma denúncia de roubo contra um motorista de aplicativo. O caso aconteceu na avenida Pinheiro Machado, no bairro Nova Esperança.

Na chegada ao local, policiais encontraram o motorista e o suspeito em intensa luta corporal, com o suspeito já bastante machucado no rosto. O boletim de ocorrência cita ainda que o homem tentou fugir do local e foi perseguido pela PM.

Ao ser abordado, policiais relataram que o suspeito estaria “bastante alterado” e que resistiu à prisão. Ele também teria tentado agredir os PMs, segundo o BO.

Após ser contido e algemado, a vítima foi inicialmente colocada na viatura da PM, mas em seguida, diante da suspeita de parada respiratória, ele foi socorrido pelos bombeiros.

O homem foi levado pela Unidade Resgate dos bombeiros para a UPA do Jardim Bela Vista, onde chegou por volta de 1h15 desta madrugada, já com parada respiratória. Segundo o BO, a morte da vítima foi confirmada às 3h15.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para perícia. A Polícia Civil informa que já pediu laudos específicos e ouviu depoimentos dos policiais militares para instaurar o inquérito policial que vai investigar as circunstâncias e a causa da morte.

O caso foi registrado inicialmente como roubo tentado e morte suspeita.