Vítima reconhece bandido e pertences por foto de perfil do WhatsApp em SP

Vítimas rastrearam números de telefone que receberam créditos comprados com os cartões roubados na noite do crime.

Vítima reconheceu foto de suspeito com seus pertences roubados em Guarujá, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Um homem reconheceu, em um aplicativo de conversas, a foto de um dos cinco assaltantes que invadiram a casa de veraneio onde ele e mais 19 pessoas estavam hospedadas em Guarujá, no litoral de São Paulo. Na imagem, o suspeito usa a corrente de um dos amigos e o óculos da irmã dele. As informações são do portal G1.

A foto foi encontrada pela vítima após os suspeitos usarem um dos cartões de crédito levados no assalto para comprar créditos para celulares pré-pagos. O homem descobriu um dos números para onde foram os créditos e adicionou o contato, conseguindo ver a foto do mesmo suspeito que participou do assalto que durou pelo menos 1h30. “Aparecia a foto com exatidão do rapaz no WhatsApp. Todos que estavam na casa reconheceram”.

Na publicação, a vítima diz: “A corrente no seu pescoço é do meu amigo, e o óculos que você está usando é da menina que você colocou a arma no pescoço. [Se] esconde no buraco que você vive, porque ‘noia’ não vai muito longe” (sic).

Criminosos reviraram a casa onde grupo estava hospedado em Guarujá, SP — Foto: Arquivo Pessoal
Criminosos reviraram a casa onde grupo estava hospedado em Guarujá, SP — Foto: Arquivo Pessoal

O crime

Em entrevista ao portal, o homem, que preferiu não se identificar com medo de represálias, narrou com detalhes a noite de terror vivenciada por ele e os amigos que estavam hospedados na mesma casa alugada, no bairro da Enseada, para passarem o fim do ano no litoral.

“Estávamos na varanda fazendo churrasco e bebendo à noite. Como era final de ano e ninguém ia dormir cedo, fomos [para Guarujá] para curtir”, relata a vítima. Na casa, eram 20 pessoas hospedadas, mas neste momento, três pessoas tinham saído. “O som estava ligado, estávamos em seis pessoas acordadas, o restante estava dormindo na sala e no andar de cima da casa”.

Então, ele ouviu um barulho vindo do portão. “Estavam chutando o portão, perguntei quem era, achando que talvez fosse um dos meus amigos que tinham saído para comer. Foi quando vimos cinco homens armados e corri para dentro da sala tentando esconder meu celular”, relata. “Os assaltantes entraram e começaram a falar para o pessoal não correr e deitar no chão. E ainda diziam: Vamos levar tudo'”.

De acordo com o relato, um dos bandidos subiu as escadas e acordou o restante das pessoas que estavam na residência com a arma na cabeça. “Eles apagaram a luz e a tortura psicológica começou”, recorda. “Engatilharam uma arma nas costas do meu amigo e falaram: ‘É o seguinte, vou atirar em você para começar a falar quem tem mais dinheiro na casa'”.

A vítima relata ainda que os criminosos mandaram eles entregarem todos os objetos que pudessem ter valor. “Com a arma no pescoço da minha amiga, mandaram a gente tirar as alianças, relógios, óculos, colares e brincos. Tudo que eles achassem que fosse semi joias”.

Além dos acessórios, bolsas, malas, roupas sujas, sapatos, cremes e roupas íntimas também foram levados. “Todos voltamos só com a roupa do corpo. Fizeram os homens tirarem os chinelos dos pés para levar”, relata. “Um deles, inclusive, tentou tirar o short de uma vítima. Queriam deixar a gente só de cueca. Como se fôssemos lixo. Foi desumano, ridículo, humilhante demais”, desabafa.

Algumas vítimas passaram mal durante o assalto, com pressão baixa e, uma delas, chegou a vomitar diante do nervosismo da situação. “Não tiveram dó nem piedade. Pegaram todos os celulares e pediram as senhas para desbloquear o cartão. Na hora do desespero, teve gente que falou a senha de verdade”.

Criminosos levaram grande parte dos pertences das vítimas. — Foto: Arquivo Pessoal
Criminosos levaram grande parte dos pertences das vítimas. — Foto: Arquivo Pessoal

A vítima relata que foram cerca de 1h30 de assalto, pois os criminosos queriam esperar os outros três hóspedes voltarem para a residência. Ainda de acordo com o relato, eles amarraram os homens com os biquínis e levaram as mulheres para o andar de cima, onde trancaram elas em um quarto e jogaram a chave fora.

Na fuga, eles levaram todas as chaves dos carros e um dos veículos foi levado. “Para a gente não ter como pedir ajuda”. Além disso, todas as facas e objetos afiados da casa foram levados, de modo a atrasar a soltura dos homens e o resgate das mulheres presas no quarto. “Até eles se soltarem, os bandidos já estavam longe”.

Naquela noite, o homem conta que ninguém conseguiu dormir. “Todos só choravam. Um único celular, que conseguimos esconder, serviu para chamarmos a polícia.”. O grupo foi embora no mesmo dia nos carros que não foram levados pelos bandidos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), as vítimas foram roubadas por cinco criminosos, por volta da 1h do dia 29 de dezembro de 2019, na Rua Uruguai, na Cidade Atlântica. Os criminosos fugiram levando documentos, o veículo e outros objetos pessoais das vítimas.

O carro do homem, que foi levado pelo grupo, foi recuperado na tarde do dia (1º), no Jardim Boa Esperança. Foram solicitados exames de perícia ao Instituo de Criminalística (IC). A ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia do Guarujá e é investigada. A vítima informou ao G1 que entregará a foto do suspeito para a Polícia Civil para ajudar nas investigações.