Micro-ônibus com grupo que voltava do litoral tomba e deixa 2 mortos e feridos

Grupo saiu de Bertioga e seguia para São João da Boa Vista quando sofreu o acidente na altura do Km 160 da Rodovia Adhemar de Barros, em Mogi Mirim; uma mulher de 48 anos está internada em estado gravíssimo.

Passageiros são socorridos após micro-ônibus que voltava da praia tombar no canteiro de rodovia em Mogi Mirim (SP) — Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação

Passageiros são socorridos após micro-ônibus que voltava da praia tombar no canteiro de rodovia em Mogi Mirim (SP) — Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação

Duas mulheres morreram e uma passageira está internada em estado gravíssimo após acidente com um micro-ônibus na altura do Km 160 da Rodovia Adhemar de Barros, que liga as cidades de Campinas (SP) e São João da Boa Vista (SP), na noite deste domingo (29). O grupo voltava de um fim de semana no litoral paulista. As informações são do portal G1.

Mayara Donizetti, de 21 anos, e Gleice Helena Gomes, de 41 anos, mulher do motorista do micro-ônibus, morreram no acidente que aconteceu por volta das 22h30, perto do trevo de Mogi Mirim (SP). O veículo que seguia de Bertioga para São João da Boa Vista levava 29 pessoas.

Seis pessoas foram conduzidas e atendidas com ferimentos graves – uma delas, uma mulher de 48 anos, internada na UTI em estado gravíssimo, segundo informações apuradas pelas EPTV, afiliada TV Globo.

Entre os feridos gravemente estão duas crianças, de 7 e 10 anos, duas mulheres, de 30 e 44 anos, e um homem de 45 anos.

Outras 20 pessoas sofreram ferimentos leves e foram atendidas na Santa Casa de Mogi Mirim e em outras cinco unidades médicas da região. Apenas um passageiro escapou sem escoriações.

Gleice Helena Gomes, de 41 anos, morreu no acidente em Mogi Mirim com um micro-ônibus que voltava do litoral de SP — Foto: Reprodução/Facebook
Gleice Helena Gomes, de 41 anos, morreu no acidente em Mogi Mirim com um micro-ônibus que voltava do litoral de SP — Foto: Reprodução/Facebook

À EPTV, o motorista contou que um outro veículo fechou o micro-ônibus, o que teria provocado o acidente. Ele realizou o teste de bafômetro e o resultado deu negativo para o consumo de álcool. As causas, no entanto, ainda serão investigadas.

Passageiro do veículo, José Carlos Dias contou que ouviu o barulho de “pneu cantando” e relatou o pânico após o veículo tombar.

“Ele [motorista] deu uma freada, uma cantada de pneu, aí e nisso ele controlou, e depois ele começou a ‘dançar’ na pista. Ele ‘dançou’ pra não pegar outro carro e jogou no acostamento. Ele tombou pra lá. Depois saiu arrastando, só gente gritando, gente pedindo socorro. O ônibus é ar-condicionado, não tinha como ninguém sair. Aí quando fui ver todo mundo machucado, a mulher do motorista morreu na hora.”
Segundo Dias, que viajava acompanhado da mulher – ela está internada em estado gravíssimo -, nenhum dos passageiros usava o cinto de segurança no momento do acidente.

“Estava todo mundo sentado, mas acho que não tinha ninguém de cinto. Ninguém esperava que ia acontecer isso.”

O veículo com o grupo de São João da Boa Vista tombou no canteiro da rodovia. Os trabalhos de resgate duraram pelo menos três horas e algumas faixas da rodovia precisaram ser interditadas. O micro-ônibus foi removido pela manhã até a base da Polícia Militar Rodoviária, e depois liberado ao proprietário. A pista foi liberada para o tráfego na madrugada.

O dono da empresa de turismo responsável pelo micro-ônibus informou que toda a manutenção do veículo estava em dia e que está prestando atendimento às famílias. Segundo ele, a empresa tem 17 anos no mercado e o motorista está há nove na companhia.

Equipes da Polícia Rodoviária e da concessionária trabalharam no resgate das vítimas do acidente em Mogi Mirim (SP) — Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação
Equipes da Polícia Rodoviária e da concessionária trabalharam no resgate das vítimas do acidente em Mogi Mirim (SP) — Foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação