São Paulo sedia versão brasileira do ‘evento mais conservador do mundo’

Ministros do governo Bolsonaro dão palestras no Conservative Political Action Conference Brasil, no Hotel Transamérica.

Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) abriu Congresso Conservador na cidade de São Paulo nesta sexta-feira (11) — Foto: Reprodução/TV Globo

Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) abriu Congresso Conservador na cidade de São Paulo nesta sexta-feira (11) — Foto: Reprodução/TV Globo

São Paulo sedia neste sábado (11) a versão brasileira do “evento mais conservador do mundo”, a CPAC Brasil (Conservative Political Action Conference). O evento foi aberto nesta sexta-feira (11) com a participação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL).

No site do evento, o Congresso diz que “após décadas de escuridão, um novo facho de luz atinge terras brasileiras. Neste novo momento, a sociedade mostra sua voz e se mobiliza contra o terror do comunismo.”

“Em um país onde as principais esferas socioculturais se mostram dominadas pela esquerda, se faz muito importante pensar e discutir o conservadorismo. É com este objetivo que o CPAC chega ao Brasil”, diz o texto.

Durante cerca de 12 horas, representantes do conservadorismo brasileiro e integrantes do governo Bolsonaro se alternam em palestras no Hotel Transamérica, na Zona Sul da capital paulista.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, abre o dia, às 9h, falando sobre “o novo momento histórico econômico do Brasil, com o fim da política de viés socialista e a guinada liberal e os próximos passos do Brasil rumo ao liberalismo”.

Pouco depois, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, herdeiro do trono extinto, fala sobre “os verdadeiros interesses por trás da crise da Amazônia”.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, discute o tema “as políticas públicas em favor dos valores familiares e em defesa das crianças”.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, fecha o congresso falando sobre “os Movimentos Totalitários.”