Queda de cachorra em precipício mobiliza equipes de resgate há cinco dias

Sacha escapou de casa em Marília (SP) na última quarta-feira (11) e, desde quinta (12), bombeiros e voluntários já desceram várias vezes em ribanceira de 30 metros de profundidade. Tática agora é montar armadilha para pegar o animal, que estaria ferido e assustado.

Voluntários de grupo de resgate descem na precipício utilizando técnicas de rapel em Marília — Foto: Sicoe/Divulgação

Voluntários de grupo de resgate descem na precipício utilizando técnicas de rapel em Marília — Foto: Sicoe/Divulgação

Há pelo menos cinco dias, a queda de uma cachorra em um precipício no Jardim Virgínia, na zona oeste de Marília (SP), vem mobilizando equipes de resgate da cidade na tentativa de salvar o animal.

Segundo a dona da cachorra Sacha, ela escapou de sua casa na madrugada da última quarta-feira (11) e teria caído em um vale localizado no bairro, a uma profundidade estimada de 30 metros.

Ainda na quinta-feira (12), uma equipe do Corpo de Bombeiros desceu a ribanceira, mas a cachorra, que estaria ferida e muito assustada, correu para se esconder na mata.

Desde então, voluntários do grupo Sicoe, especializado neste tipo de resgate de animais, passaram a fazer as buscas pela cachorra.

A cachorra Sacha escapou de sua casa na última quarta-feira (11) e estaria ferida e assustada após a queda no buraco — Foto: Arquivo pessoal
A cachorra Sacha escapou de sua casa na última quarta-feira (11) e estaria ferida e assustada após a queda no buraco — Foto: Arquivo pessoal

Segundo o presidente do Sicoe, Claudio Schilic, Sasha só não morreu porque teve a queda amortecida pelo mato que existe no fundo do buraco. Na sexta-feira (13), a dona de Sacha foi ao local, inclusive levando a filha da cachorra, mas não a encontrou.

No último sábado (14), Schilic disse que voluntários desceram no buraco e chegaram a avistar a cachorra, que mais uma vez se assustou e fugiu para as proximidades de outra ribanceira da região.

A dona de Sacha chegou a levar a filha da cachorra para ajudar as equipes de resgate a localizá-la: sem sucesso — Foto: Sicoe/Divulgação A dona de Sacha chegou a levar a filha da cachorra para ajudar as equipes de resgate a localizá-la: sem sucesso — Foto: Sicoe/Divulgação
A dona de Sacha chegou a levar a filha da cachorra para ajudar as equipes de resgate a localizá-la: sem sucesso — Foto: Sicoe/Divulgação
A dona de Sacha chegou a levar a filha da cachorra para ajudar as equipes de resgate a localizá-la: sem sucesso — Foto: Sicoe/Divulgação

Diante desta dificuldade em se aproximar do animal, o socorrista explica que a tática adotada a partir desta segunda-feira (16) será descer no local com técnicas de rapel para montar armadilhas e deixar alimentos com soníferos preparados por veterinários.

Como o clima está instável e o terreno ficou encharcado, Schilic explica que, a partir de agora, somente voluntários experientes devem seguir nas buscas pela cachorra.

Segundo voluntários da equipe de resgate, a cachorra teve a queda amortecida pelo mato no fundo do buraco — Foto: Sicoe/Divulgação
Segundo voluntários da equipe de resgate, a cachorra teve a queda amortecida pelo mato no fundo do buraco — Foto: Sicoe/Divulgação