Jovem transexual morre após fazer aplicações de silicone industrial no corpo

Nicolle Souza de 24 anos morreu após ficar dois dias internada no Hospital das Clínicas.Ela teria tido uma rejeição ao produto, que foi aplicado na casa da vítima.

Nicolle tinha 24 anos e morreu após ficar internada dois dias no HC de Marília (Foto: Facebook/ Reprodução)

Nicolle tinha 24 anos e morreu após ficar internada dois dias no HC de Marília (Foto: Facebook/ Reprodução)

A transexual Nicolle Souza, 24 anos, morreu na noite desta sexta-feira (13) no Hospital das Clínicas de Marília, no interior de São Paulo, onde estava internada há três dias após ter recebido injeção de silicone industrial nas mamas, glúteos e coxas. As informações são do portal Marília Notícia.

As informações constam em boletim de ocorrência registrado como morte suspeita. A causa do óbito foi rejeição a produto injetável. Nicolle é o nome social de Felipe da Neves David. A jovem trabalhava como cabeleireira e era moradora do CDHU, na zona Sul de Marília.

Em entrevista ao portal a mãe de Nicolle, Josie Alice das Neves, contou que a filha vinha fazendo os procedimentos há um mês. A primeira aplicação foi nos glúteos. Algum tempo depois ela colocou os peitos e o problema teria começado no domingo (8), quando foi feita aplicação na coxa.

Nicolle recebendo aplicação de silicone industrial nos glúteos (Foto: Arquivo Pessoal)
Nicolle recebendo aplicação de silicone industrial nos glúteos (Foto: Arquivo Pessoal)

“Esguichava sangue da perna da Nicolle”, disse a mãe. A jovem teria pago R$ 3 mil e dado um forno elétrico como pagamento para a pessoa que fez a aplicação – que segundo Josie também seria uma transexual.

O silicone teria sido aplicado no próprio apartamento da vítima. “Quero que seja feita justiça, minha filha não merecia isso”, disse a mãe de Nicolle.

No dia 12 de novembro Nicolle publicou em seu perfil no Facebook uma mensagem sobre a aplicação do silicone nos glúteos. “Próxima meta silicone no peito, não vejo a hora, devagarinho eu chego lá!”, escreveu.

“Tem aqueles que vão criticar e tem aqueles que vão elogiar, lógico, normal, nem Jesus Cristo agradou todo mundo”, completou a jovem. Ela também declarou na rede social que  já havia passado “por muita humilhação por conta de não ter bumbum grande” e revelou que pretendia aumentar ainda mais.

A mãe da jovem ainda irá prestar depoimento na Polícia Civil, que já iniciou as investigações do caso.

Jovem trabalhava como cabeleireira em Marília (Foto: Facebook/ reprodução)
Jovem trabalhava como cabeleireira em Marília (Foto: Facebook/ reprodução)