Suspeitos de matar sucuri têm passagens por roubo e tráfico de drogas, diz polícia

Três homens foram identificados em um vídeo que circula nas redes sociais. Caso aconteceu no bairro Bom Viver V em Lins (SP); cobra foi morta a facadas.

Homens vão responder por maus-tratos a animais após matarem sucuri em Lins — Foto: Arquivo pessoal

Homens vão responder por maus-tratos a animais após matarem sucuri em Lins — Foto: Arquivo pessoal

Os três envolvidos na morte de uma sucuri a facadas em Lins (SP) já tinham passagem pela polícia e isso facilitou a identificação deles em um vídeo que está circulando nas redes sociais e mostra os homens arrastando o animal pela rua do bairro Bom Viver V. O caso aconteceu no último sábado (9) e os homens foram identificados nesta segunda-feira (11).

LEIA TAMBÉM

Segundo o delegado responsável pelo caso, João Pandolfi, os três suspeitos identificados tinham passagem por roubo, furto, tráfico de drogas e outros crimes. “

Como eles são indivíduos conhecidos nos meios policiais conseguimos identifica-los por meio das imagens.”

Os três homens são investigados pelos crimes de maus-tratos a animais, que prevê pena de 3 meses a 1 ano, que pode ser aumentada pelo fato da cobra ter morrido, além de terem que pagar multa de R$3,5 mil cada um.

No vídeo que circula nas redes sociais, um dos homens aparece arrastando a cobra pelo rabo em uma das ruas do Jardim Bom Viver V. Um outro se aproxima e, para se defender, o animal dá uma mordida no braço dele. (Veja no vídeo abaixo).

 

Segundo a polícia, um terceiro homem se aproxima com uma faca e dá vários golpes na sucuri, que acaba morrendo.

Ainda de acordo com delegado foram identificados o rapaz de 21 anos que faz a filmagem, o jovem de 23 anos que dá os golpes de faca na sucuri e o homem de 37 anos que é mordido pela cobra.

Um deles já prestou depoimento e os outros dois devem ser intimados nos próximos dias. Todos vão responder pelos crimes em liberdade.

Cobra foi atingida por facadas em Lins — Foto: Arquivo pessoal
Cobra foi atingida por facadas em Lins — Foto: Arquivo pessoal