Mulher encontra jovem desaparecido vivendo como morador de rua em SP

Encontro foi relatado nas redes sociais. A causa do desaparecimento não foi relevada pelo rapaz.

Rapaz foi encontrado em uma praça, no bairro Bela Vista, em São Paulo — Foto: Divulgação/Daniela Neves

Rapaz foi encontrado em uma praça, no bairro Bela Vista, em São Paulo — Foto: Divulgação/Daniela Neves

O jovem Brayan Henrique Rodrigues Aguiar, de 18 anos, que desapareceu misteriosamente no dia 20 de outubro em Iguape, no litoral de São Paulo, foi encontrado vivendo como morador de rua, em uma praça do bairro Bela Vista, na Capital. Ele foi localizado pela escritora e roteirista, Daniela Neves, de 47 anos, que realizava uma contra-vigília no local.

Em um live publicada nas redes sociais, ela conta que o rapaz estava há duas semanas morando na rua, mas que não tinha tido contato com bebidas e drogas. “Ele ainda não está contaminado pela rua. A rua machuca demais essas pessoas. Você vê o perigo que ele está correndo e o que ele pode viver só com 18 anos. Não consegui conversar tanto com ele, está muito tímido. Acho que muito machucado emocionalmente”, explica ela no vídeo que atingiu 25 mil visualizações.

Durante os 15 dias, o jovem foi levado por uma assistente social até um albergue, onde tomou banho, se alimentou e dormiu. Daniela informou ao G1 que os moradores de rua estavam ajudando-o e davam o lugar deles para Brayan poder dormir no abrigo. “Eles estavam colocando-o na frente, para que ele pudesse ter uma cama. Ele não dormiu na rua nenhum desses dias, mas ele ficava na praça durante o dia”.

Ela conta que notou a presença do rapaz quatro dias antes de saber que ele estava desaparecido. Conversando com os moradores que estavam na praça, ela conheceu o Brayan e notou a dificuldade de aproximação dele. “Ele quase não fala com ninguém ou fala muito pouco. Ficava sempre no mesmo lugar. Mas naquele meio, se destaca, porque você vê na hora que ele não é um morador de rua. Você vê que ele é um menino que acabou de chegar”, afirma.

Publicações nas redes

Com a identidade dele, a mulher passou a procurar algo sobre seu desaparecimento nas redes sociais, e encontrou as postagens da família e a reportagem do G1. Diante da descoberta, ela contatou uma das irmãs e a mãe avisando sobre o seu encontro do rapaz. Ao G1, a mãe de Brayan, Deise Rodrigues Cunha, contou que se emocionou quando soube do encontro do filho.

“Foi um alívio. Foram 15 dias sem saber onde estava, se estava comendo, se estava vestindo, se estava apanhando”. Ela achou que tivesse acontecido algo pior com o filho, afinal, ninguém o viu sair de casa e nem na cidade. “Eu estava bastante preocupada, porque não sabia o que havia acontecido. O mundo está muito perigoso. Vemos acontecer tanta coisa nos jornais, que a gente pensa o pior”, desabafa.

O motivo do seu desaparecimento ainda não foi revelado para a família, como afirma a mãe, mas Brayan está bem e de volta à casa dos pais, em Miracatu, no litoral de São Paulo. Questionado se queria se pronunciar sobre o caso, o rapaz disse que não quer falar.

Rapaz está desaparecido desde domingo (20) — Foto: Reprodução/Facebook
Rapaz está desaparecido desde domingo (20) — Foto: Reprodução/Facebook

Entenda o caso

No dia 20 de outubro, Brayan saiu da casa da tia, no Centro de Iguape, onde morava há menos de um mês. Ele se mudou para a cidade para procurar emprego. No dia de seu desaparecimento, a mãe foi visitá-lo. “Eu vim aqui no dia, ele conversou comigo normal. Em determinado momento, eu e minha irmã saímos, deixando ele sozinho. Quando meu sobrinho chegou, ele já não estava mais na casa. Tinha pego a mochila com algumas roupas e sumiu misteriosamente”, esclarece.

Nas redes sociais, não havia vestígios do paradeiro do rapaz. A mãe relatou ao G1 que ele sempre foi um menino quieto, não conversava muito e não tinha muitos amigos. Antes de mudar para Iguape, o rapaz morava com a mãe e os quatro irmãos em Miracatu, no interior de São Paulo. Na ocasião, o caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Iguape como desaparecimento.