PE tem 2 casos de coronavírus; total no Brasil passa dos 70

Casal de idosos viajou recentemente à Itália e está internado em hospital particular de Recife; o homem está na UTI.

Combate ao coronavírus — Foto: Martin Mejia/AP

Combate ao coronavírus — Foto: Martin Mejia/AP

O número de casos confirmados de coronavírus no Brasil passou de 70. As informações são do portal G1.

O Ministério da Saúde contabiliza 60 casos pelo país, segundo balanço divulgado na manhã desta quinta-feira (12). Esse número, porém, não leva em conta outros 19 casos já informados por outros órgãos.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu nesta quinta-feira (12) que todos os países “redobrem” o comprometimento contra a pandemia de coronavírus.

Falando a diplomatas em Genebra um dia depois de caracterizar o Covid-19 como uma pandemia, ele também disse: “Descrever isso como uma pandemia não significa que os países devam desistir. A ideia de que os países devem passar da contenção para a mitigação está errada e é perigosa.”

A fala vem um dia depois da agência de saúde da ONU declarar uma pandemia de Covid-19 e dos EUA tomarem uma medida tomada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, de bloqueio às viagens para Europa.

A União Europeia criticou esta a decisão unilateral do governo Trump em restringir viagens da Europa para os Estados Unidos por causa do coronavírus, dizendo que a doença não respeita fronteiras.

O governo da China declarou nesta quinta-feira (12) que o pico do surto do novo coronavírus acabou no país. Os novos casos de Covid-19 continuam em declínio, afirmou o porta-voz da Comissão Nacional de Saúde, Mi Feng, em entrevista coletiva em Pequim.

Nesta quinta, foram registrados apenas 15 novos casos no país. A província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, considerada o epicentro da epidemia, registrou apenas oito novas infecções. É a primeira vez que Hubei registra uma contagem diária de menos de 10 novos casos.

Casos no Brasil

Governo diz que lista oficial de casos confirmados tem 60 infectados até a manhã desta quinta, mas ainda falta contabilizar outros pacientes já confirmados pelos estados.

O Ministério da Saúde publicou uma portaria que define como serão feitos o isolamento e a quarentena para enfrentar a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), causador da doença Covid-19.

O texto prevê que agentes de vigilância podem recomendar o isolamento para pessoas que tiveram contato próximo com alguém infectado enquanto o caso delas estiver sendo investigado.

Ainda sobre os profissionais de saúde, o Governo anunciado nesta manhã a contratação de 5,8 mil médicos para atender a demanda que deve ser gerada pelo novo coronavírus. A contratação deverá ocorrer até 7 de abril.

No Rio de Janeiro, o secretário de Saúde do estado, Edmar Santos, anunciou, na manhã desta quinta-feira (12), o primeiro caso de transmissão local do coronavírus.

“Tivemos ontem a confirmação do exame de contraprova pela Fiocruz que faz com que o Rio de Janeiro tenha tido o primeiro caso de transmissão local do vírus”, disse Santos durante entrevista ao Bom Dia Rio.

Casos na Europa

Na Espanha, a ministra da Igualdade, Irene Montero, foi diagnosticada com o novo coronavírus. Ela é parceira de Pablo Iglesias, vice-primeiro-ministro do país, que entrou em quarentena. Todos os ministros do governo vão ser submetidos a testes ao longo do dia.

Todos os museus estatais de Madri, incluindo Prado, Rainha Sofia e Thyssen-Bornemisza, vão fechar suas portas ao público devido à epidemia de coronavírus que afetou a capital espanhola, afirmaram nesta quarta-feira autoridades do país. Todos os jogos da Liga espanhola de futebol estão suspensos.

Autoridades austríacas confirmaram a primeira morte de um homem de 69 anos em Viena por causa do novo coronavírus. A Áustria já registrou 302 casos de infecção.

Sem público por causa do coronavírus, Comitê Olímpico Internacional (COI) iniciou o revezamento da tocha olímpica. A cerimônia, na Grécia, aconteceu só com presença de jornalistas e poucos convidados.

O ministro da Saúde grego confirmou a primeira morte provocada pelo coronavírus. O paciente de 66 anos contraiu a doença durante um tour religioso em Israel e Egito no mês passado. Ele morreu em um hospital em Patras, a 204 km de Atenas.

Famosos e autoridades infectados

No Brasil, o Secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, está com coronavírus, segundo o governo. Ele ficará de quarentena em casa.

Tom Hanks e sua mulher, Rita Wilson, foram diagnosticados com o novo coronavírus. Eles estavam na Austrália para as gravações de um filme, ainda sem nome, sobre Elvis Presley.

O próprio ator confirmou a notícia em seu perfil no Twitter nesta quarta-feira (11). Tanto ele quanto Wilson têm 63 anos de idade.

Após de retornar de uma viagem à Londres, na Inglaterra, o primeiro ministro do Canadá, Justin Trudeau, informou por meio do Twitter que irá ficar de quarentena em casa e cancelará seus compromissos no período.

Cancelamentos

A banda britânica de rock The Who cancelou uma turnê que faria pelo Reino Unido devido à pandemia de coronavírus, apenas quatro dias antes de subir ao palco em Manchester.

Temores sobre a rápida proliferação do vírus levaram a cancelamentos de shows e eventos esportivos ao redor do mundo, incluindo o torneio de tênis de Indian Wells e o festival Coachella, e levantaram questionamentos sobre a Olimpíada de Tóquio.

No Brasil, a Campus Party Amazônia foi adiada por conta do coronavírus. O evento, que aconteceria em Manaus entre os dias 18 e 22 de março, ainda não tem nova data.

Pandemia

Na quarta (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que há uma pandemia de Covid-19. Essa é a primeira vez que um coronavírus provoca uma pandemia – o termo que se refere ao momento em que uma doença já está espalhada por diversos continentes com transmissão sustentada entre as pessoas.

O novo coronavírus já atingiu mais de 124 mil pessoas em todo o mundo e deixou mais de 4,6 mil mortos.

A organização estima que o número de pacientes infectados, de mortes e de países atingidos deve aumentar nos próximos dias e semanas. Apesar disso, os diretores ressaltaram que a declaração não muda as orientações, e que os governos devem manter o foco na contenção da circulação do vírus.