Pai é acusado de matar o filho de 8 anos, ao deixá-lo de castigo na garagem

A criança morreu de hipotermia. A madrasta também está sendo investigada.

O pequeno Thomas teve uma hipotermia ao dormir na garagem gelada (Foto: Reprodução/ Twitter)

O pequeno Thomas teve uma hipotermia ao dormir na garagem gelada (Foto: Reprodução/ Twitter)

Michael Valva, um policial de Nova York, nos Estados Unidos, está sendo acusado por abuso infantil depois que Thomas Valva, seu filho de 8 anos, morreu de hipotermia. A informação é da Revista Crescer.

A polícia local trabalha com a hipótese de que o menino foi deixado de castigo pelo pai por uma noite inteira na garagem da casa, em temperatura congelante. De acordo com o jornal The Washington Post, a família ligou para a emergência quando constatou que o menino estava desacordado. Ao chegarem na casa, na manhã do dia 17 de janeiro, os oficiais encontraram o pai tentando fazer massagem cardíaca para reanimar a criança, sem sucesso. Michael, então, disse que o menino teria escorregado pela rampa enquanto esperava o ônibus da escola e ficado inconsciente. Por isso, teria parado ali.

O menino foi levado para o hospital, onde foi declarado morto. Uma das principais causas foi mesmo a hipotermia, já que a temperatura do corpo do menino estava em 22°C (o normal para o corpo humano é em torno de 36/37ºC).

A perícia constatou que os ferimentos na cabeça e na face do garoto eram inconsistentes com o horário dos acontecimentos da versão dada pelo pai e trabalha com a hipótese de que o menino foi submetido a dormir na garagem, que não tem sistema de aquecimento, quando a temperatura lá fora estava em torno de -7 ºC.

Os policiais acreditam que o menino estava de castigo, já que obtiveram vídeos de câmeras de segurança da casa, gravados duas noites antes, que mostram Thomas e um de seus irmãos indo dormir na garagem, sem colchão, travesseiro ou cobertores.

O pai e a madrasta, Pollina, estão presos, enquanto a investigação avança. “Ainda estamos investigando a extensão dos abusos e se aconteceu com mais crianças [Michael tem mais dois filhos, de 6 a 10 anos, e Pollina tem uma filha de 6 anos e gêmeas de 11]. As prisões não são o fim da investigação”, disse a oficial Geraldine Hart, em uma coletiva de imprensa sobre o caso.

As outras crianças foram retiradas da casa e estão em local seguro, segundo a polícia.