Tribunal condena à morte ex-presidente paquistanês Pervez Musharraf

Musharraf foi acusado de traição por violar a Constituição em 2007 para prolongar seu mandado na presidência.

O ex-presidente do Paquistão, o general Pervez Musharraf, chegou neste domingo ao aeroporto internacional de Karachi — Foto: AFP Photo/Aamir Qureshi

O ex-presidente do Paquistão, o general Pervez Musharraf, chegou neste domingo ao aeroporto internacional de Karachi — Foto: AFP Photo/Aamir Qureshi

O ex-presidente do Paquistão Pervez Musharraf foi condenado à morte nesta terça-feira (17) por alta traição pelo Tribunal Especial de Islamabad. Como ele está atualmente em Dubai, ele foi condenado à revelia.

A acusação está relacionada à suspensão da constituição em 2007, quando ele impôs uma regra emergencial para prolongar seu mandato presidencial. Musharraf, de 76 anos, afirma que a acusação é “infundada”.

O general Musharraf, que foi condenado por 2 votos a 1, foi o primeiro governante militar a ser julgado no Paquistão por desrespeitar a constituição.

Musharraf assumiu o poder no país após um golpe militar em 1999 e foi presidente entre 2001 e 2008. Durante esse período, ele sobreviveu a várias tentativas de assassinato e de golpe. Em 2008, ele renunciou para evitar um impeachment.

O ex-presidente conseguiu uma permissão para deixar o país em 2016 para realizar um tratamento médico nos Emirados Árabes. Desde então, o ex-presidente passa a maior parte do tempo entre Dubai e Londres.

No início do mês, Musharraf divulgou um vídeo gravado na cama do hospital em que está internado em Dubai para dizer que a acusação não tinha fundamento.

Acusação de traição

O processo que acusa Musharraf de alta traição foi aberto após Nawaz Sharif ser eleito primeiro-ministro do Paquistão em 2013. Antigo inimigo político de Musharraf, Sharif foi deposto pelo golpe de estado de 1999.

O ex-presidente alegou que as ações que ele tomou em 2007 foram acordadas pelo seu gabinete e pelo governo. Os argumentos foram rejeitados pelos tribunais.

O indiciamento do general em 2014 foi um momento importante para o Paquistão uma vez que os militares dominaram grande parte de sua história política do país.

Muitos chefes de exército ou governaram o Paquistão diretamente após golpes, como o general Musharraf, ou exerceram influência significativa sobre a formulação de políticas durante períodos de domínio civil.

O ex-presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, em imagem de 2013 — Foto: B.K. Bangash / Arquivo / AP Photo
O ex-presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, em imagem de 2013 — Foto: B.K. Bangash / Arquivo / AP Photo