Dólar dispara e chega a bater R$ 4,79 com tombo do petróleo

Às 9h13, moeda avançava 3,33%, a R$ 4,7886 na venda, e chegou a tocar a máxima recorde de R$ 4,7931 logo após a abertura.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O dólar opera em alta nesta segunda-feira (9), em dia de forte tensão nos mercados por conta do tombo nos preços do petróleo e ainda marcado pelas tensões com o avanço do coronavírus.

A moeda abriu em disparada nesta segunda-feira (9) e bateu R$ 4,78 às 9h08.

Às 9h13, o dólar avançava 3,33%, a R$ 4,7886 na venda, e chegou a tocar a máxima recorde de R$ 4,7931 logo após a abertura. Enquanto isso, o dólar futuro saltava 3,5%, a R$ 4,796.

O Banco Central (BC) anunciou nesta segunda leilão de venda de dólar à vista de até US$ 3 bilhões, cancelando o anúncio de venda de até US$ 1 bilhão feito na sexta-feira (6).

Além disso, nesta segunda, o diretor de política monetária da autarquia, Bruno Serra, indicou que as intervenções cambiais do Banco Central podem durar o tempo que for necessário e que não tem preconceito ou preferência por uso de nenhum dos instrumentos à sua disposição. Serra ainda falará em evento da Bloomberg a partir das 9h10.

O dólar interbancário caiu 0,36% na última sessão, a R$ 4,6344 na venda, primeira queda em 12 pregões.