Brasil criou 644 mil empregos formais em 2019, diz Caged

Setor de serviços registrou maior saldo positivo no ano. Foram 6.966.824 admissões e 6.584.299 desligamentos, 382.525 postos de trabalho a mais.

No acumulado de 2019 foram criadas XXX vagas (Foto: Marcello Casal/Agência Brasil)

No acumulado de 2019 foram criadas XXX vagas (Foto: Marcello Casal/Agência Brasil)

O Brasil abriu 644.079 empregos formais (com carteira assinada) em 2019, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (24), pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O número reflete uma expansão de 21,63% em relação a 2018, quando foram contabilizados 529.554 novos postos.

O setor de serviços registrou o maior saldo positivo no ano. Foram contabilizadas 6.966.824 admissões e 6.584.299 desligamentos, ou seja, 382.525 postos a mais.

Na sequência aparece o comércio com 3.996.673 admissões e 3.851.198 desligamentos, com um saldo positivo de 145.475 vagas. Depois, vem o setor de construção civil com 1.461.022 admissões e 1.389.907 desligamentos (71.115 novos postos) e um crescimento de 3,60%.

No acumulado do ano de 2019, todos os Estados e do Distrito Federal registraram
variação positiva no estoque de emprego.

Os maiores saldos foram em:
• São Paulo: +184.133 postos (+1,54%);
• Minas Gerais: +97.720 postos (+2,45%); e
• Santa Catarina: +71.406 postos (+3,56%).

Os menores foram:
• Amapá: +352 postos (+0,52%);
• Acre: +352 postos (+0,45%);
• Alagoas: +731 postos (+0,21%).

Dezembro registrou retração de 307 mil vagas

Em dezembro de 2019, no entanto, houve contração de postos de trabalho registrando o saldo de 307.311 vagas a menos.

No mês, foram 990.848 admissões e de 1.298.159 desligamentos. O estoque em dezembro do ano passado contabilizou 39.054.507 vínculos, o que representa uma variação negativa de 0,78% em relação ao estoque do mês anterior.

Em dezembro de 2018, o emprego celetista descreveu saldo negativo de 334.462 postos de trabalho (sem ajuste). Naquele ano, o estoque alcançou 38.434.372 vínculos no mês de dezembro, equivalente à variação negativa de 0,86% em relação ao mês anterior.

No acumulado do ano de 2018, foi registrado saldo de +529.554 empregos