Covid-19: Rio cria gratificação para médicos que atuarem em UTI

Maior salário é de R$ 21,2 mil.

© REUTERS / Amanda Perobelli/direitos reservados

© REUTERS / Amanda Perobelli/direitos reservados

A prefeitura do Rio de Janeiro criou hoje (4) uma gratificação para médicos que aceitarem trabalhar nas unidades de terapia intensiva (UTIs) de dois hospitais municipais de referência no tratamento da covid-19: o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e o hospital de campanha do Riocentro.

Com a nova gratificação, o salário para médicos que trabalharem 30 horas por semana será de R$ 21,2 mil.

Para as rotinas de 24 horas, o salário é de 16,2 mil. Já os vencimentos para 12 horas semanais serão de R$ 8,2 mil.

Segundo a prefeitura, a criação da gratificação deve-se à necessidade urgente de contratação de médicos para UTI, no tratamento de casos mais graves da covid-19.

O edital 081/2020 da RioSaúde foi publicado no Diário Oficial do Município e as inscrições são imediatas.

Regras

“As contratações são pela CLT [Consolidação das Leis Trabalhistas], por tempo determinado, com carteira assinada e todos os direitos garantidos. Os novos valores valem a partir de junho, tanto para os médicos de UTI já contratados para o Ronaldo Gazolla e o Hospital de Campanha no Riocentro, como para aqueles a serem ainda contratados para as duas unidades”.

As inscrições podem ser feitas pelo site da RioSaúde, no link. Quem preferir pode acessar diretamente o formulário de inscrição.

Não serão aceitas inscrições de profissionais a partir de 60 anos de idade ou que se enquadrem em outros grupos de risco para a covid-19.

*Agência Brasil