Fortaleza: colunas de prédio foram quebradas, diz filha de vítima

Edifício Andrea desabou no último dia 15 e deixou nove pessoas mortas e outras sete feridas.

REPRODUÇÃO

REPRODUÇÃO

Quatro colunas já tinham passado por intervenção um dia antes de Edifício Andrea desabar em Fortaleza (CE). A afirmação é de Anita Grazielle Rodrigues Barbosa, filha da síndica do condomínio, Maria das Graças Rodrigues, feita em depoimento à Polícia Civil. As informações são do portal G1.

Grazielle informou que a intervenção nas colunas teve início em 14 de outubro, por volta das 15h30. A mulher revelou que, no dia seguinte, chegou a falar com a mãe às 8h30, horas antes de o edifício ruir. Maria das Graças, segundo ela, estava à espera do responsável técnico pelas obras para que o escoramento do prédio fosse feito.

Imagens de câmeras de segurança do edifício, contudo, mostram trabalhadores quebrando uma das colunas na data do desabamento. No vídeo, uma grande estrutura, que aparenta ser um reboco, cai da parede. Minutos depois o prédio desaba. Ao todo, nove pessoas morreram, entre elas a síndica, e outras sete foram resgatadas com vida.

A Alpha Engenharia, empresa contratada para fazer a reforma no local, ofereceu R$ 22 mil para recuperação e pintura de 14 pilares e vigas. Outras duas empresas ofereceram R$ 25 mil e 35 mil. Os condôminos optaram pela oferta mais barata. Segundo Anita, o pagamento da intervenção foi dividido em quatro parcelas de R$ 4,4 mil.