Adolescente morre depois de comer doce oferecido por um desconhecido

Polícia investiga se morte foi causada por pirulito que ela comeu oferecida por desconhecida no trem. Delegado pediu imagens da Supervia e aguarda laudo de exames toxicológicos.

Lorrana voltava de um curso quando aceitou o doce (Reprodução)

A mãe da adolescente Lorrana Madalena da Luz Manoel, de 14 anos, Gisele, está desesperada. Na terça-feira (22), Lorrana morreu na UPA Jardim Íris, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, suspeita de ter sido envenenada.

Segundo Gisele, a filha começou reclamando de dor de cabeça e disse que tinha comido uma pirulito oferecida por uma desconhecida no trem.

“Ela chegou no meu trabalho, na segunda-feira (21) e falou que estava passando mal. Eu disse para ela esperar que a gente já ia embora. Ela comeu um lanche, e a gente saiu às 18h. Ela subiu o morro bem, brincou com o filho da vizinha. Foi na barraquinha, comprou um cachorro-quente para mim. Depois ela falou que estava com dor de cabeça e tomou um remédio. Perto da 1h, ela começou a ficar gelada e começou a boca a encher de espuma”, contou a mãe, desesperada.

A adolescente foi levada de madrugada para a UPA, aonde já chegou em estado grave.

Tia de Lorrana, Renata disse que os médicos suspeitam que a adolescente tenha sido envenenada. Ainda de acordo com a família, a jovem fez uma lavagem estomacal e foi colocada no oxigênio. Mas, no final da tarde de terça, ela teve três paradas cardíacas e morreu.

Peritos coletaram material para exames toxicológicos, para descobrir se a jovem foi mesmo envenenada. O corpo da jovem ainda está no IML de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O delegado Vinícius Domingos, da 64ª DP (São João de Meriti), requisitou imagens de câmeras de segurança da Supervia, para ver se mostram alguém oferecendo a pirulito a Lorrana. Ele também convocou a mãe da jovem para prestar depoimento nesta quinta-feira (24).