Sargento do Exército morto em cafeteria foi vítima de crime passional, diz delegada

Casal dono de rede de supermercados é suspeito de ordenar a morte e está foragido.

Movimento da DEHS, em Manaus — Foto: Eliana Nascimento/G1

Movimento da DEHS, em Manaus — Foto: Eliana Nascimento/G1

O assassinato do sargento do Exército Lucas Ramon Silva Guimarães, de 29 anos, em uma cafeteria de Manaus está ligada a um crime passional envolvendo os donos da rede Vitória Supermercados, informou nesta terça-feira (21) a delegada Marna de Miranda, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros. As informações são do Portal g1.

Segundo a delegada, o sargento tinha um caso com Jordana Azevedo Freire, casada com o empresário Joabson Agostinho Gomes que, ao descobrir a traição, mandou matar a vítima. Segundo a polícia, Joabson e Jordana estão foragidos. O g1 tenta contato com a defesa do casal.

O crime aconteceu no dia 1° de setembro deste ano em uma cafeteria que pertencia à vítima. Câmeras de segurança registraram o momento que um homem entra no local e atira contra o sargento à queima roupa.
Uma operação foi deflagrada na manhã desta terça-feira para cumprir seis mandados de busca e apreensão, sendo um na casa dos suspeitos e outros cinco nos supermercados da rede.

Durante a operação, um revólver roubado foi apreendido dentro de uma das lojas com um segurança do estabelecimento. Ele foi preso e vai responder por porte ilegal de arma de fogo. Documentos e um computador foram apreendidos.

Polícia divulga imagens de suspeito de matar sargento do Exército em Manaus

Segundo a delegada, o casal saiu de casa na noite desta segunda-feira (20) e não foi mais encontrado.

“Essa informação está comprovada nos autos de que houve um relacionamento extraconjugal entre a vítima e uma mulher, esposa do proprietário da rede de supermercados, também casada. Inclusive proprietária dos supermercados também”, afirmou a delegada-adjunta da DEHS, Marna de Miranda.
A delegada disse que o relacionamento extraconjugal foi comprovado. O marido da suspeita descobriu o caso após olhar o celular dela. A vítima tinha o relacionamento desde dezembro de 2020

“A partir dessa descoberta, o sargento passou a ser vítima de ameaças, o que conduziu ele a ter alguns comportamentos. Ele começou a adquirir arma de fogo, contratou segurança privada, vivia com medo e temeroso pela vida. A vítima devolveu uma quantia de R$ 200 mil que foi entregue a um funcionário do supermercado no Batalhão do Exército onde o soldado trabalhava”, completou

Segundo a delegada, a proprietária do supermercado dava dinheiro para o sargento e o marido acabou descobrindo.

“Comprovado nós temos: relacionamento extraconjugal, descoberta desse relacionamento e um desvio de dinheiro da rede de supermercados pela esposa do proprietário”, disse.

Após descobrir as traições, a mulher também sofreu violência doméstica por parte do empresário da rede de supermercados.

O empresário contratou um atirador para mandar matar o sargento. O assassino ainda não foi identificado.