Mais de 50 cães são envenenados e mortos em lar temporário

Animais começaram a passar mal quando eram transportados de Ribeirão das Neves para Contagem, em Minas Gerais.

Cachorros sendo socorridos em clínica veterinária — Foto: Redes sociais

Cachorros sendo socorridos em clínica veterinária — Foto: Redes sociais

Pelo menos 52 cachorros morreram depois de ser envenenados, na tarde deste sábado (14), no Lar Temporário Entre Latidos e Miados, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outros 14 animais estão internados em estado grave. As informações são do portal G1.

De acordo com a jornalista Bárbara Camilo, de 30 anos, os cães começaram a se sentir mal quando eram transportados de Ribeirão das Neves para Contagem, para onde o lar foi transferido.

Cachorro envenenado sendo socorrido — Foto: Redes sociais
Cachorro envenenado sendo socorrido — Foto: Redes sociais

Em princípio, os protetores acharam que o mal-estar tinha sido causado pelo deslocamento, mas depois os cães começaram a babar, a vomitar e a evacuar sangue. A partir daí, os protetores começaram a suspeitar que eles tinham sido envenenados.

Ainda segundo a protetora, a matança foi provocada por salsichas envenenadas.

Bárbara disse ao portal que mantinha neste lar temporário, desde outubro de 2018, o cachorrinho vira-latas Led, resgatado com a bacia quebrada na Região da Pampulha.

Led sendo resgatado pela jornalista Bárbara Camilo — Foto: Bárbara Camilo/Arquivo pessoal
Led sendo resgatado pela jornalista Bárbara Camilo — Foto: Bárbara Camilo/Arquivo pessoal

Led foi pego na Avenida Professor Magalhães Penido, com 5 meses, e levado a uma clínica veterinária, onde fez uma cirurgia por causa do ferimento e depois foi castrado.

Ainda de acordo com Bárbara, o lar temporário é administrado por Cláudia Araújo, que está abalada e em estado de choque.

De acordo com Bárbara, o Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) se dispôs a fazer os exames de necropsia nos cachorros.

Neste sábado (14), Cláudia foi à Polícia Militar e registrou boletim de ocorrência.

Led foi um dos 52 cães que morreram envenenados na grande BH — Foto: Bárbara Camilo/Arquivo pessoal
Led foi um dos 52 cães que morreram envenenados na grande BH — Foto: Bárbara Camilo/Arquivo pessoal