Comissão de Ética da Presidência arquiva denúncia sobre Fábio Wajngarten

Por quatro votos a dois, o colegiado da Presidência entendeu que não havia conflito de interesse entre função do secretário e empresa particular.

Comissão de Ética arquiva representação contra Fabio Wajngarten (Foto: Anderson Riedl/Presidência)

Comissão de Ética arquiva representação contra Fabio Wajngarten (Foto: Anderson Riedl/Presidência)

A Comissão de Ética da Presidência da República arquivou nesta terça-feira (18), por quatro votos a dois, o procedimento que apurava se havia conflito de interesses na atuação do chefe da Secretaria de Comunicação (Secom), Fabio Wajngarten e de sua empresa privada. A informação é do portal R7.

O procedimento foi aberto após informações de que Wajngarten não havia se desligado da sua empresa ao assumir a função no governo Bolsonaro. A FW Comunicação tem como clientes TVs e de agências de publicidade que também mantém contratos com a Secom para veiculação de publicidade oficial.  Wajngarten sempre negou conflito e disse que havia consultado todos os órgãos competentes antes de assumir.

Em nota, a Secom disse que a decisão da comissão “é um marco na defesa do secretário”. Diz ainda que “Ficou comprovado, com a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, de que não há conflito de interesses entre a atuação do Secretário e  a sua empresa. E que nenhum grupo econômico do setor foi favorecido pelos atos administrativos do Secretário de Comunicação”.

Leia abaixo a íntegra da nota: 

NOTA

A decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República é um marco na defesa do Secretário de Comunicação Fábio Wajngarten.

Reduz a insidiosa campanha promovida por um jornal ao seu lugar, apenas um permanente acinte de calúnias e difamações que se revelaram infrutíferas, apesar da implacável campanha diária.

Ficou comprovado, com a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, de que não há conflito de interesses entre a atuação do Secretário e  a sua empresa. E que nenhum grupo econômico do setor foi favorecido pelos atos administrativos do Secretário de Comunicação. 

Prevaleceu a verdade e o bom senso. Não há nada de aético  ou ilegal na atuação do Secretário Fábio Wajngarten, à frente da Secretaria de Comunicação. A denúncia arquivada é um atestado de idoneidade a ele.

O Secretário de Comunicação continua confiante de que em outros fóruns aonde as supostas denúncias são objeto de apuração, a conclusão será a mesma porque elas não encontram respaldo na realidade.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

VEJA TAMBÉM