Justiça condena médium João de Deus a 19 anos de prisão

Esta é a primeira sentença por crimes sexuais do médium de Abadiânia, que já foi denunciado 11 vezes.

FOTO: FILIPE CARDOSO/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

FOTO: FILIPE CARDOSO/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

O médium João de Deus foi condenado nesta quinta-feira (19) a 19 anos e quatro meses de prisão pela juíza Rosângela Rodrigues, da comarca de Abadiânia (GO). Esta é a primeira condenação que ele sofre pelas acusações de abusos sexuais contra mulheres que atendia na Casa Dom Inácio de Loyola, no Entorno do Distrito Federal. As informações são do Metrópoles.

A condenação envolve duas violações por fraude e dois casos de estupro de vulnerável.

João de Deus está preso há um ano e já foi denunciado, até agora, 11 vezes pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) por crimes sexuais. Em dois desses casos, a acusação envolve também falsidade ideológica, corrupção de testemunha e coação.

O médium foi denunciado e já condenado em outro caso, por posse ilegal de arma de fogo. A pena foi de quatro anos em regime semiaberto, mas já foi revogada. A 13ª denúncia que pesa contra ele envolve apreensão de arma e documentos.

Até agora, mais de 300 denúncias contra João de Deus foram recebidas pelo MP, sendo que 194 dessas mulheres deram andamento aos processos. Nas denúncias que já foram formalmente apresentadas, somam-se 57 vítimas do médium.

Ele nega todas as acusações. Em todas as ocasiões em que foi interrogado, o médium afirmou não conhecer as vítimas e garantiu não ter cometido os abusos.

Ao Metrópoles, o advogado de João de Deus, Anderson van Gualberto informou que ainda não foi intimado da decisão e que ainda não tem conhecimento dos termos da sentença ou a que denúncias ela refere. “Mas certamente vamos recorrer”, afirmou.