Defesa alega que homem que matou moradora de rua estava com bolsa de dinheiro; polícia descarta legítima defesa

Informação foi confirmada pela advogada de defesa. Para a polícia, versão de legítima defesa é fantasiosa.

Homem mata moradora de rua após ela pedir R$ 1 a ele — Foto: Reprodução / TV Globo

Aderbal Ramos de Castro, preso por matar a moradora de rua Zilda Henrique dos Santos Leandro, estaria com uma bolsa de dinheiro na hora que foi abordado. “”Não importa se foi R$ 1 ou não. O que importa é que o dinheiro estava dentro da bolsa. Sobre o valor que ele carregava, isso não importa”, alegou a advogada Renata Lopes, uma das responsáveis pela defesa de Aderbal. (Assista ao vídeo abaixo)

Na madrugada de sábado, ele matou Zilda a tiros depois que ela o abordou pedindo R$ 1 para comprar pão. O crime aconteceu na Rua Barão do Amazonas, uma das principais vias do Centro de Niterói.

Em entrevista concedida na quarta-feira (15), o delegado Bruno Reis alegou que reagiu a uma tentativa de assalto, mas a polícia não acredita nessa possibilidade.

“Pelo menos até agora, a hipótese alegada de legítima defesa é fantasiosa. No depoimento, ele disse que não sabia nem se a vítima era homem ou mulher. Apenas que se assustou por achar que seria assaltado e atirou”.

Delegado Bruno Reis: "Versão que alega legítima defesa é fantasiosa". — Foto: Carlos Brito
Delegado Bruno Reis: “Versão que alega legítima defesa é fantasiosa”. — Foto: Carlos Brito

Ainda segundo Reis, Aderbal tem posse, mas não porte de armas. E, em função disso, não poderia estar armado na rua já que a posse de arma autoriza apenas ter arma em casa.

“Ele confirmou que mantinha aquela arma em casa, mas que, naquele dia, decidiu levá-la ao trabalho porque tinha medo de ser assaltado no caminho”, explicou o delegado.

A polícia ainda destacou que Aderbal não era segurança de ruas do Centro de Niterói, como acredita a irmã da vítima, mas dono de um comércio na região.

A polícia chegou a Aderbal por meio da utilização das câmeras do circuito de segurança da Prefeitura de Niterói. Ele não possui antecedentes criminais.

VEJA TAMBÉM