Madrasta é presa por obrigar enteadas a fazerem sexo com homens de até 90 anos

Vítimas têm 11 e 15 anos. Sete homens que supostamente tiveram programas com as meninas também foram indiciados.

Crime foi registrado em Miranorte — Foto: Elisangela Farias/G1

Crime foi registrado em Miranorte — Foto: Elisangela Farias/G1

Uma mulher de 25 anos foi presa pela Polícia Civil suspeita de fazer as próprias enteadas, de 11 e 15 anos, se prostituírem. Conforme a Polícia Civil, os crimes aconteceram entre junho e setembro de 2019 em Miranorte, na região central do estado. Os programas eram feitos com homens de até 90 anos.

A investigação feita pela 66ª Delegacia de Miranorte apontou que a madrasta submetia as enteadas à prostituição oferecendo os favores sexuais para homens e cobrando valores entre R$ 100 e R$ 150. Antes dos programas, a mulher ainda dava bebida alcoólica às vítimas.

A madrasta, que não teve o nome divulgado, foi presa temporariamente em outubro. Depois disso, a polícia conseguiu identificar sete homens que teriam feito programas com as meninas.

Os suspeitos têm 34, 35, 41, 44, 58, 71 e 90, anos. Alguns foram indiciados por estupro de vulnerável e favorecimento à prostituição de adolescente e outros apenas pelo primeiro crime.

Ainda conforme a polícia, a prisão temporária da mulher foi convertida em preventiva pela Justiça. Ela está presa na Cadeia Pública de Lajeado e foi indiciada pelos crimes de estupro de vulnerável, favorecimento à prostituição de adolescente e por dar bebida alcoólica para as meninas.

Os homens respondem ao processo em liberdade. O inquérito foi enviado à Justiça e ao Ministério Público, que deve oferecer denúncia contra os suspeitos.